Imprimir
Compartilhar

O ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, foi homenageado ontem em almoço comemorativo durante a realização do Fórum de Energia – VIII Seminário sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira 2018 e 14º Brazil Energy and Power, promovido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro.

O ministro externou sua gratidão e satisfação pela iniciativa, e estendeu à sua equipe de trabalho a homenagem recebida. “Agradeço a homenagem, mas penso que a mesma deve ser prestada aos técnicos do Ministério, pela experiência, pelo engajamento, pelo esforço e sobretudo pela noção que tiveram do papel deste setor na robustez da economia do País”, declarou Moreira Franco.

O ministro destacou os desafios que o setor tem à frente, com ênfase para o atual modelo energético. Segundo ele, esse padrão está ultrapassado e já não atende mais às necessidades do setor elétrico. “Estamos vivendo um momento de transformação e o novo governo tem o desafio de oxigenar o setor, de trazê-lo para o século 21, de entender que é pela concorrência que vamos permitir que as pessoas possam ter produtos de melhor qualidade e a preços mais baratos, que é o fundamental”.

Moreira Franco também citou o setor de óleo e gás, afirmando que “cada vez mais estamos colocando o setor de óleo e gás dentro de um ambiente de transparência, de concorrência e de busca do melhor”.

O ministro concluiu sua fala afirmando que a mais grave crise econômica vivida pelo Brasil também trouxe um dado positivo: “Teria provocado não um apagão, mas um verdadeiro colapso do sistema. E se esse próximo governo não tomar firmemente decisões que modernizem o setor elétrico, nós vamos ter talvez o maior problema nessa área de infraestrutura relacionada ao crescimento econômico que já vivemos, pois não temos capacidade instalada para produzir a energia a um crescimento sucessivo de 3,5% ao ano, o que é muito perigoso”.

Comentários

Recommended Posts